25 cursos superiores sem desemprego

0
321
25 cursos superiores sem desemprego

Em Portugal, há 25 cursos superiores sem desemprego, ou seja, os dados mostram que em 2016 nenhum recém-licenciado nestas áreas estava inscrito nos centros de emprego.

Os cursos são de áreas completamente distintas mas têm uma coisa em comum: não há ninguém desempregado. Se quiseres enveredar pela via religiosa, os três cursos de Teologia da Universidade Católica Portuguesa estão dentro desta lista. Já se estiveres mais ligado às ciências, podes optar pelo curso de Física da Universidade de Coimbra ou Medicina nas Universidades de Lisboa, Porto, Minho e Beira Interior.

Também a malta de desenho e multimédia pode encontrar uma formação cujos licenciados não apresentam qualquer índice de desemprego – o curso de Design do Instituto Superior D.Dines na Marinha Grande.
Dentro das Humanidades, o curso de Estudos Comparatistas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa enquadra-se nesta lista, e para finalizar, se o que gostas mesmo é de música, o curso de Instrumentista de Orquestra da Academia Nacional Superior de Orquestra poderá ser também uma opção com boa empregabilidade.

No outro lado do espetro, os cursos com maior número de desempregados estão maioritariamente ligados às artes. O curso com uma maior percentagem de desemprego (31,5 por cento) é o de Arquitetura, da Escola Superior Artística do Porto. Seguem-se Artes e Grafismo do Media, da Escola Superior Artística de Guimarães, Comunicação e Relações Públicas, do Instituto Politécnico da Guarda e, por fim, o curso de Serviço Social, da Universidade Lusófona do Porto.

Em relação a médias, os cursos com médias gerais finais mais elevadas são o Canto Teatral, do Conservatório Superior de Música de Gaia, com 17,7 valores, seguido de Engenharia Física Tecnológica da Universidade de Lisboa – 16,9 – , e Fisioterapia do Instituto Politécnico de Leiria, com 16 valores.
Já as médias mais baixas estão nos cursos de Biologia, da Universidade da Madeira e Contabilidade, do Instituto Politécnico de Viseu, com 11 valores e Engenharia Topográfica do Instituto Politécnico da Guarda, com 11,6 valores.

Se quiseres saber mais sobre estas instituições ou sobre aquelas às quais estás a pensar candidatar-te, podes sempre ir ao site infocursos, que tem estatísticas sobre todos os cursos de Portugal. Mas não te esqueças, não é por um curso apresentar uma média baixa que não conseguirás ter boas notas, destacar-te e vir a trabalhar na tua área de sonho.

[Fonte: Público]

Deixe um comentário

Please enter your comment!
Please enter your name here

+ 27 = 34